A construção de um espaço para a zoologia: Barbosa du Bocage e a fundação do Museu Nacional de Lisboa (Daniel Gamito-Marques)

Lisboa, 19 de Outubro, 18h
Na FCUL, Edifício C8, Sala 8.2.06.
Comunicação proferida no âmbito do ciclo de Conferências CIUHCT.



Pedro José da Cunha, A Escola Politécnica de Lisboa: breve notícia histórica. Lisboa: João Pinto, Lda, 1937

Sinopse

Esta conferência tem por objectivo discutir as estratégias que permitiram construir um novo lugar para a zoologia em Portugal, a partir dos espaços físicos e institucionais ocupados pela Escola Politécnica de Lisboa. Graças à acção de José Vicente Barbosa du Bocage (1823–1907), a zoologia encontrou um novo lugar na Escola Politécnica, apesar de ocupar inicialmente uma posição pouco proeminente num estabelecimento de ensino predominantemente dedicado à formação de militares e engenheiros. Aproveitando a reconstrução e a ampliação do seu edifício, ocorrida após um grande incêndio que o destruíra na sua quase totalidade, em 1843, Bocage transferiu um museu de história natural anteriormente localizado na Academia das Ciências de Lisboa para a Escola Politécnica, o que lhe permitiu conquistar um lugar mais prestigioso para a zoologia. Ainda que não tenha recebido todo o apoio governamental que desejava para o desenvolvimento da Secção Zoológica do novo Museu Nacional de Lisboa, os colaboradores que Bocage recrutou em diversos pontos dos territórios continental e coloniais portugueses forneceram-lhe espécimes com os quais conseguiu expandir as colecções do Museu e estabelecer uma carreira de naturalista. A sua ligação à comunidade internacional de zoólogos foi fundamental para projectar a Secção Zoológica, e a sua importância será exemplificada pela análise da controvérsia que se gerou na sequência da publicação de um artigo científico sobre a descoberta de um espécime de Hyalonema ao largo da costa de Setúbal.

Sobre o orador

Daniel Gamito-Marques (n. 1986) é licenciado em Biologia Celular e Molecular, pela Universidade NOVA de Lisboa (UNL), e mestre em Biologia Evolutiva e do Desenvolvimento, pela Universidade de Lisboa (UL). No âmbito da sua dissertação de mestrado, estudou a importância de sistemas de comunicação entre bactérias, no Instituto Gulbenkian de Ciência. É doutorado em História das Ciências pela UNL, com uma dissertação sobre o ensino e a investigação em zoologia e em botânica na Escola Politécnica de Lisboa (EPL), no contexto da qual analisou, entre outros temas, a fundação do museu de história natural e do jardim botânico da EPL, bem como alguns aspectos da recepção de teorias evolucionistas no meio científico português, durante a segunda metade do séc. XIX. Desenvolveu um projecto de pós-doutoramento em Educação das Ciências, que consistiu na construção do website Imaginative Biology, no qual conceitos centrais da Biologia, como “evolução” e “gene”, são explicados segundo uma abordagem histórica. Presentemente, desenvolve investigação na área da Literatura e Ciência, no âmbito do projecto VISLIS, estudando obras literárias de autores portugueses influenciados pelo Realismo (Cesário Verde, Eça de Queirós), pelo Naturalismo (Alfredo Gális, Abel Botelho) e pelo Futurismo (Álvaro de Campos). Os seus principais interesses de investigação são a História das Ideias em Biologia, a Educação das Ciências e a Literatura e Ciência.

Poster de divulgação